França

Savoir faire, uma atração turística francesa

A expressão savoir faire é das mais típicas da língua e da cultura francesas, e pode ser  traduzida como conhecimento, capacidade técnica, habilidade ou, simplesmente, ao pé da letra, como a arte de “saber fazer”.

O tal “saber fazer” é algo muito caro aos franceses, tanto que é muito comum ouvirmos a frase “os franceses são bons em …”. E não é pra ficarmos com dor de cotovelo, mas eles são bons em fazer muitas coisas. Vinhos, queijos, mostarda, aeronaves, software, energia nuclear, vestuário, perfumes, fármacos, cosméticos e uma infinita lista de produtos com a identidade francesa são mundialmente reconhecidos e respeitados a ponto de se tornarem ícones da cultura do país.

Ícones são representações fortes e impactantes de uma ideia. Assim sendo, por que não usá-los para tornar mais rica a experiência de turistas que visitam a França com objetivos e expectativas que vão além de uma selfie tendo Torre Eiffel ao fundo?

Visita às instalações da Airbus (Occitanie)? Sim, é possível. Foto: catálogo oficial da Entreprise et Découverte.

Pois é este o propósito do tourisme de savoir faire, ou turismo industrial, uma especialidade francesa promovida oficialmente desde a criação Entreprise et Découverte, em 2012. Ela é uma associação nacional voltada para o turismo industrial que atualmente está promovendo essa ideia também no Brasil, em parceria com a Atout France, agência oficial francesa de promoção do turismo segundo a qual em 2018 15 milhões de visitantes estiveram em  2.000 empresas, usufruindo de uma nova maneira de descobrir a França pelo contato com o seu patrimônio econômico-cultural vivo.

Como se faz chocolate (Val du Rhône). Foto catálogo oficial da ED.

Para conquistar ainda mais o público internacional, a Entreprise et Découverte criou o primeiro Clube francês do savoir-faire, selecionando 100 empresas que oferecem atualmente as mais belas experiências de turismo industrial, incluindo o acesso à fabricação de produtos em ateliês e fábricas, em uma relação de troca que beneficia as próprias empresas que apresentam seu savoir faire, suas tradições e expressam seus compromissos. Elas foram escolhidas com base em três critérios:

– a capacidade de acolher o público internacional,

– a reputação da marca, frequentemente como um símbolo de seu território,

– a proposta de uma oferta de visita de qualidade: cultural, autêntica e humana.

A L’Occitane também abre suas portas para o turismo de savoir faire. Foto: catálogo oficial da ED.

Para ter uma ideia do que essas companhias oferecem, foi lançada a primeira edição de um catálogo anual (ilustrado com lindas fotos) com as empresas agrupadas por região e descritas pelas suas especialidades. A primeira edição pode ser vista e baixada nos idiomas Francês e Inglês.

Dá uma espiadinha e vê se não dá vontade de correr pra esses ateliês pra observar e aprender a fazer as coisas comme il faut. 🙂

Quer aprender francês para saber ainda mais?

http://www.francesmais.com

Publicado por Hellen Souza

Meu nome é Hellen Souza, sou jornalista e francófila, ou seja, adoro a cultura francesa. Aqui você encontrará informações sobre o que acontece atualmente nesse país que já foi berço de transformações sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 5 =